A gestão de estoque é uma das áreas mais desafiadoras em uma companhia. Se é mal feita, pode desperdiçar recursos e se tornar uma dor de cabeça para quem atende clientes insatisfeitos porque suas mercadorias não chegaram. No entanto, quando é bem feita otimiza gastos e tempo. 

Em um restaurante, por exemplo, se não houver controle sob a quantidade de alimentos necessários para o consumo diário ou semanal, pode faltar ou sobrar comida, duas situações que trazem impactos negativos para o negócio. Mas o que é uma gestão de estoque? Basicamente, é o controle e administração da matéria-prima, produtos ou recursos que acabam virando os produtos/serviços geradores da receita de uma empresa.

Portanto, é uma atividade essencial, mas muito empreendedores ainda desconhecem a forma de fazer a gestão com o planejamento adequado. É por isso que neste post vamos dar 4 dicas para que você possa implantar ou ajustar sua gestão de estoque. Confira!

Defina metas e processos da empresa

Para que qualquer negócio tenha sucesso é necessário saber para onde se quer ir, e isso só é possível após a definição de metas da empresa. Com as metas também você consegue enxergar o que é preciso de matéria-prima para que se alcance a produção e venda desejada.

Outro ponto que deve ser definido são os processos. Assim que desenhar todos os papéis e nomear os responsáveis, os erros ou lapsos diminuem. Tudo tem que ser previsto, desde quem faz os relatórios, passando pelo fluxo de entrada e saída, até a organização de prateleiras e do estoque em si. 

Organize o fluxo de entrada e saída

Uma das tarefas mais relevantes de um bom controle de estoque é o fluxo de entrada e saída. Nessa etapa você deve construir um fluxograma que pode ser automatizado

Passe por cada produto, desenhe como ele chega até você e como vai para o cliente final. Quanto mais detalhes melhor será sua visualização, mais clareza você terá do processo e, consequentemente, mais agilidade na tomada de decisão e resolução de possíveis imprevistos.

Desenhe um modelo de reposição

Cada matéria-prima ou recurso deve ter listado seu mínimo e máximo, ou seja, qual é a quantidade mínima para o próximo pedido e máxima para evitar o desperdício. Essas informações entram no modelo de reposição que define se essas serão contínuas ou periódicas.

Para que não faltem materiais, as possíveis mudanças de consumo pela sazonalidade, como o maior consumo de sorvete no verão, por exemplo, devem ser consideradas.

Crie sistemas de controle adequados

Controlar o estoque não é uma tarefa fácil! Mas esse processo pode ficar bem menos trabalhoso com um sistema que automatize a atividade. No entanto, se o seu negócio ainda não for robusto para isso, opte por planilhas ou outra forma que seja mais viável para sua empresa. O importante é realizar o controle!

Agora que você já entende um pouco mais sobre a gestão de estoque é hora de arregaçar as mangas e colocar o que aprendeu em prática. 

Você também tem alguma dica ou ficou com dúvidas que gostaria de esclarecer? Então, deixe seu comentário aqui no post!