A gestão de uma academia exige diversas tarefas, entre elas está o controle de ponto. Ele é fundamental para fiscalizar a jornada de trabalho dos empregados, pagando os adicionais devidos e conferindo todos os intervalos.

Para fazer isso, é importante contar com equipamentos e softwares eficientes e modernos, que agilizam o processo e minimizam a taxa de erros.

Neste texto, mostramos como funciona o controle de ponto, seus tipos e como otimizar esse procedimento em academias. Confira!

Como funciona a jornada de trabalho e o controle de ponto

A jornada de trabalho é uma das disposições da CLT. Ela é, basicamente, o tempo definido no contrato de trabalho em que o empregado deve prestar serviços para a empresa.

Esse tempo, geralmente, é determinado por dia ou por semana e os limites legais são de 44 horas semanais e 8 horas diárias. É possível ultrapassar o limite diário em até duas horas, sendo que, nesse caso, o empregado tem direito ao adicional de hora extra.

Além da jornada, o contrato de trabalho também determina qual é o horário que o empregado deve cumprir. Ou seja, a que horas se apresenta ao trabalho e até quando deve ficar.

E é justamente para isso que serve o controle de ponto: fiscalizar e registrar o horário que o empregado está cumprido na sua jornada. Isso é fundamental para determinar as horas extras, intervalos e outros adicionais aos quais o trabalhador tem direito.

Conforme a legislação trabalhista, o controle de ponto é obrigatório para empresas com mais de 10 empregados, e ele pode ser feito de forma manual, mecânica ou eletrônica.

Porém, é importante que esse controle seja executado, também, em empresas menores, para garantir os direitos dos empregados, controlar as horas extras e para que o empregador possa se precaver em eventuais reclamatórias trabalhistas.

Em empresas como academias, que funcionam fora do horário comercial, é essencial ter um controle de ponto eficiente, tendo em vista que é preciso controlar as horas extras, o adicional noturno e os intervalos com precisão.

Quais os tipos de controle de ponto

Existem, basicamente, três tipos de controle de ponto: manual, mecânico e eletrônico. O manual é o método mais antigo e tem um baixo custo para ser implantado, porém, ele também é o que oferece menos segurança.

Ele é conhecido como livro ponto, no qual os empregados assinam e marcam dia e hora de chegada e saída de forma manual. Para empresas maiores ou mais modernas, esse controle de ponto não é uma alternativa, tendo em vista que ele demanda muito tempo para o processamento de informações e é bastante suscetível a erros.

O ponto mecânico é aquele em que a marcação é feita em um cartão e o relógio registra a hora exata de entrada e saída. Esse equipamento pode carimbar, perfurar ou imprimir o horário.

Já o controle de ponto eletrônico é o método mais moderno, ele registra de forma automática e eletrônica o horário de chegada e saída dos empregados, bem como os intervalos na jornada.

Nele, pode-se usar cartões com código de barras para cada funcionário ou mesmo o registro biométrico, que é aquele por impressão digital. Todas as informações ficam gravadas no aparelho e um software pode ser utilizado para a gestão de horários em geral.

Como economizar tendo um controle de ponto efetivo

O controle de ponto bem implementado, com equipamentos modernos e um bom software de gestão pode ser uma forma eficaz de reduzir custos, principalmente em academias e espaços fitness.

Nesses empreendimentos, os horários dos empregados costumam ocupar parte da noite e ter turnos diferenciados. Por isso, controlar a jornada, sabendo exatamente o tempo noturno e de horas extras, é fundamental.

Sabendo de todas essas informações, com a ajuda de um controle de ponto eficiente é possível fazer pagamentos corretos todo mês — evitando cobranças posteriores em reclamatórias trabalhistas —, facilitando, também, o planejamento de outras opções de jornadas, como a implementação de um banco de horas, por exemplo.

Gostou desse post? Quer saber mais sobre equipamentos para controlar ponto de maneira eficiente? Então entre em contato conosco e conheça nossos serviços!

A gestão de uma empresa exige diversas tarefas, o que não é diferente em espaços fitness. Entre essas obrigações, está o controle de ponto em academia. Ele é fundamental para fiscalizar a jornada de trabalho dos empregados, permitindo o pagamento dos adicionais devidos e a conferência de todos os intervalos.

Para fazer isso, é importante contar com equipamentos e softwares eficientes e modernos, que agilizam o processo e minimizam a taxa de erros.

Neste texto, mostramos como funciona o controle de ponto, seus tipos e como otimizar esse procedimento em academias. Confira!

Como funciona a jornada de trabalho e o controle de ponto em academia?

A jornada de trabalho é uma das disposições da CLT. Ela é, basicamente, o tempo definido no contrato de trabalho em que o empregado deve prestar serviços para a empresa.

Esse tempo, geralmente, é determinado por dia ou por semana e os limites legais são de 44 horas semanais e 8 horas diárias. É possível ultrapassar o limite diário em até duas horas, sendo que, nesse caso, o empregado tem direito ao adicional de hora extra.

Além da jornada, o contrato de trabalho também determina qual horário o empregado deve cumprir. Ou seja, a que horas se apresenta ao trabalho e até quando deve ficar.

E é justamente para isso que serve o controle de ponto: fiscalizar e registrar o horário que o empregado está cumprido na sua jornada. Isso é fundamental para determinar as horas extras, os intervalos e outros adicionais aos quais o trabalhador tem direito.

Conforme a legislação trabalhista, o controle de ponto é obrigatório para empresas com mais de 10 empregados, e ele pode ser feito de forma manual, mecânica ou eletrônica.

Porém, é importante que esse controle seja executado, também, em empresas menores, para garantir os direitos dos colaboradores, controlar as horas extras e para que o empregador possa se precaver em eventuais reclamatórias trabalhistas.

Em empresas como academias (que funcionam fora do horário comercial), é essencial ter um controle de ponto eficiente, tendo em vista que é preciso ficar atento às horas extras, ao adicional noturno e aos intervalos com ainda mais precisão.

Quais os tipos de controle de ponto?

Existem, basicamente, três tipos de controle de ponto: manual, mecânico e eletrônico. O manual é o método mais antigo e tem um baixo custo para ser implantado, porém, ele também é o que oferece menos segurança.

Ele é conhecido como livro ponto, no qual os empregados assinam e marcam dia e hora de chegada e saída de forma manual. Para empresas maiores ou mais modernas, esse sistema não é uma alternativa, tendo em vista que demanda muito tempo para o processamento de informações e é bastante suscetível a erros.

O ponto mecânico é aquele em que a marcação é feita em um cartão e o relógio registra a hora exata de entrada e saída. Esse equipamento pode carimbar, perfurar ou imprimir o horário.

Já o controle de ponto eletrônico é o método mais moderno, pois ele registra de forma automática e eletrônica o horário de chegada e saída dos empregados, bem como os intervalos na jornada.

Nele, pode-se usar um cartão com código de barras para cada funcionário ou, até mesmo, o registro biométrico — que é aquele por impressão digital. Todas as informações ficam gravadas no aparelho e um software pode ser utilizado para a gestão dos horários em geral.

Como a gestão efetiva do controle de ponto ajuda o seu negócio?

O controle de ponto bem implementado, com equipamentos modernos e um bom software de gestão, pode ser uma forma eficaz de reduzir custos, principalmente em academias e espaços fitness.

Isso porque nesses empreendimentos, os horários dos empregados costumam ocupar parte da noite e ter turnos diferenciados. Assim, controlar a jornada, sabendo exatamente o tempo noturno e de horas extras, é fundamental.

Alguns dos principais motivos para investir em um controle de ponto são a redução da mão de obra, a minimização dos riscos e o aumento da produtividade em sua academia. Além disso, podemos citar:

Facilidade na decisão sobre como pagar as horas extras

Basicamente, existem duas formas de renumerar as horas extras dos funcionários: pagando em dinheiro ou por banco de horas. No entanto, de nada adianta optar por um ou outro se não houver um bom controle do ponto.

Hoje em dia, os sistemas de registro da jornada de trabalho são acessíveis e completos, fornecendo informações em tempo real para a gestão das horas extras. Realizar o controle de horários por meio de planilhas não é um método eficaz.

Ao usar um sistema que garante a tranquilidade do empregador e do empregado, a academia reduz o risco de processos trabalhistas, pois sempre haverá um método que comprove quantas horas a equipe faz, garantindo que elas sejam acumuladas no banco de horas ou pagas de forma correta.

Possibilidade de gerar relatórios personalizados

Investir em um sistema de controle de ponto ajuda a confeccionar relatórios sobre horas trabalhadas, ausências e outras ocorrências. Por meio deles, o proprietário da academia pode acompanhar o desempenho de cada colaborador, assim como a empresa como um todo.

Além disso, todas as decisões trabalhistas são fundamentadas a partir de dados concretos. A partir desses relatórios, é possível gerenciar de forma global a escala de funcionários, períodos de folgas ou decidir sobre os melhores momentos para as férias dos colaboradores, por exemplo.

Outro fator é que todos os registros podem ser consultados em tempo real, permitindo uma gestão dos colaboradores mais efetiva. Tal análise seria difícil de ser executada com sistemas tradicionais de controle de ponto.

Boa relação custo-benefício

Os sistemas modernos de controle de ponto podem ser adotados por empresas de diferentes portes, até mesmo em pequenas academias. O custo-benefício dessa tecnologia é bastante convidativo e proporciona muitos benefícios, principalmente na economia de tempo administrativo.

Eles são muito simples de serem instalados e configurados. Além disso, ocupam pouco espaço e não precisam de conhecimento técnico para o seu uso. Todo o registro é feito pelo próprio equipamento, sem a necessidade de conexões de rede extras ou a disponibilidade de computadores para acompanhar o processo.

Benefício de adotar um registro eletrônico

A principal vantagem de adotar um sistema de ponto eletrônico é a facilidade e confiabilidade dos registros. Com a versão eletrônica, são evitados os erros humanos e a necessidade de intervenções manuais.

Assim, menos tempo é usado para corrigir erros ou resolver problemas, evitando despesas administrativas com falhas de lançamentos e retrabalhos.

Ao aposentar o controle de ponto manual ou mecânico, é possível eliminar as incoerências nos registros, o que promove uma preocupação a menos com pagamento de indevido de horas, assim como a redução de ações trabalhistas.

Dessa forma, ao consultar boas fontes de informações (como o blog da Luz Automação) e contar com a ajuda de um controle de ponto eficiente, é possível realizar os pagamentos corretamente todos os meses — evitando cobranças posteriores em reclamatórias trabalhistas. Mais que isso: o planejamento de outras opções de jornadas e a implementação de um banco de horas, por exemplo, ficam muito mais fáceis.

E você, curtiu este post? Quer receber no seu e-mail mais informações sobre equipamentos e dicas para controlar ponto em academia de maneira eficiente? Assine a nossa newsletter!