Manutenção preventiva e corretiva são procedimentos com objetivos semelhantes, mas com diferenças pontuais entre si. Além disso, eles se complementam e garantem o perfeito funcionamento de parte da estrutura do negócio.

Além das vantagens mais comuns, como diminuição de custos com consertos, redução de paradas de atendimento e minimização dos efeitos de quebras — que podem gerar até a impossibilidade de emitir notas fiscais, por exemplo —, elas também são capazes de evitar acidentes graves, como incêndios e danos à saúde de usuários e clientes.

Ou seja, as intervenções de manutenção também têm importância para a segurança e evitam os grandes prejuízos possíveis em razão do convívio desnecessário com perigos iminentes. Assim, leia este conteúdo com atenção, elimine prejuízos e previna-se!

O que é a manutenção preventiva?

A manutenção preventiva é uma modalidade de reparo que é feita periodicamente, antes que um equipamento apresente defeito, com o objetivo de evitar quebras e paradas não programadas. Ela é cuidadosamente planejada, levando em consideração a vida útil de componentes e a necessidade de procedimentos, como a lubrificação e até a reposição de materiais de refil.

A própria troca da bobina de papel de uma impressora térmica ou de uma balança é considerada uma manutenção, mas ela vai além disso, envolvendo a limpeza periódica e outras tarefas que garantem a vida útil de cada equipamento e de seus componentes.

Por ser uma atividade preventiva, esse tipo de manutenção não depende de uma quebra, pois isso é justamente o que se pretende evitar ao adotá-la. Como resultado, a operação flui continuamente, e a empresa mantém a qualidade do atendimento e a satisfação do consumidor, uma vez que evita o aumento do tempo de espera dos clientes em razão da falha de equipamentos.

Manutenção preventiva é o mesmo que preditiva?

Não vamos entrar em muitos detalhes sobre a manutenção preditiva, mas para evitar qualquer dificuldade de entendimento ou confusão, vale a pena ao menos descrever do que se trata. A manutenção preditiva trabalha com monitoramento de equipamentos, normalmente em indústrias, com o objetivo de prever possíveis falhas. 

Por meio de sensores que verificam aumento excessivo de temperatura e diminuição do desempenho, é possível prever uma falha e executar a manutenção para evitá-la.

Ou seja, a manutenção preventiva opera com intervenções programadas de acordo com os critérios preestabelecidos pelo fabricante e as boas práticas de prevenção. O objetivo é prevenir.

Já a preditiva só realiza manutenções quando ocorre a previsão de uma quebra em razão do que pode ser observado no funcionamento do equipamento. O objetivo é prever quebras e evitá-las.

O que é a manutenção corretiva?

Por maior que seja o cuidado e a qualidade da manutenção preventiva, nem todas as quebras podem ser evitadas, especialmente em empresas com muitos equipamentos. É nessas situações que é preciso recorrer às manutenções corretivas, que ocorrem sempre que um equipamento quebra, com o objetivo de consertá-lo rapidamente. 

Obviamente, o ideal é evitar as manutenções corretivas, mas isso não significa que elas também não sejam importantes. Nesses casos, é fundamental agir com agilidade e eficiência, de modo a minimizar os danos, sejam eles relativos à diminuição da capacidade de atendimento, sejam relacionados à interrupção total de algum serviço.

Isso significa que toda empresa precisa desenvolver a capacidade de realizar o máximo de manutenções preventivas para evitar interrupções. Contudo, ao mesmo tempo, deve desenvolver excelência na manutenção corretiva quando ela for necessária. 

No entanto, é preciso considerar que o custo da manutenção corretiva costuma ser mais alto. Isso não ocorre apenas em razão da interrupção do atendimento, quando é o caso, mas porque o mau funcionamento de qualquer equipamento costuma aumentar o tamanho do problema. 

Por exemplo, um computador funcionando cheio de poeira faz com que esse hardware opere em temperatura mais alta, o que pode, em situações extremas, ocasionar a quebra do processador. O que poderia ser resolvido com uma simples limpeza gera a necessidade de envio para a assistência técnica ou obriga o gasto com a compra de um processador novo. Isso se não for mais vantajoso trocar todo o computador, por já ter uma configuração ultrapassada e outras peças comprometidas. 

Como ocorre a manutenção preventiva e corretiva?

Quando há uma boa aplicação, fica claro que adotar as boas práticas de manutenção traz benefícios pontuais. Entre eles, podemos citar:

  • aumento da vida útil de equipamentos;
  • diminuição das ocorrências de paradas não programadas;
  • diminuição dos custos de manutenção;
  • diminuição dos prejuízos com inutilização de equipamentos;
  • priorização das ações preventivas, como forma de evitar as corretivas;
  • manutenção da dinâmica e da excelência de atendimento.

Para uma boa aplicação de um programa de manutenção, o primeiro passo é o cadastramento dos componentes e das máquinas que precisam de manutenção. Cada equipamento deve ser monitorado com base nas suas características, nas manutenções realizadas e na programação das manutenções preventivas.

Um ótimo exemplo para entender como funciona esse cadastro é o manual de veículos, que apresenta todas as práticas que devem ser adotadas na manutenção e uma ficha de registro das revisões. Isso nada mais é do que uma forma de manutenção preventiva. 

Ali ficam registradas todas as intervenções executadas, as trocas de peças e outros procedimentos. Além disso, alguns veículos já são equipados com monitoramento remoto. Por meio de uma conexão telefônica, o desempenho do carro é monitorado e pode indicar a necessidade de manutenções preditivas, ou seja, em razão do aquecimento excessivo de uma peça ou do excesso de atrito por falhas de regulagem, por exemplo.

Aliás, quando o carro quebra e você precisa levá-lo a uma oficina, você está aplicando uma manutenção corretiva, que ocorre mais raramente nos veículos novos. Essa observação é importante para identificar a importância de acompanhar o aumento da frequência de manutenções corretivas registradas na ficha de cada máquina. 

Quando um equipamento passa a necessitar de intervenções corretivas o tempo todo, o custo de mantê-lo em uso supera o de compra de um novo, indicando que chegou o momento da troca. 

Para garantir o equilíbrio entre a manutenção preventiva e corretiva, a Luz Automação oferece diferenciais importantes, sendo o principal deles um canal exclusivo de pós-venda: o Help LUZ! Com o objetivo de garantir a excelência no atendimento e agilizar processos, cada solicitação é verificada por uma equipe treinada e dedicada a essa atividade. Um ambiente exclusivo no site também pode ser acessado com o uso de login e senha para usufruir do suporte.

Entre em contato e conheça em detalhes os benefícios de contar com nosso envolvimento nesse setor!