Uma impressora de cupom não fiscal vem se tornando equipamento obrigatório no mercado para que os estabelecimentos cumpram as exigências legais do fisco, visto que a maneira de emitir os documentos fiscais está em constante transformação.

Desde 2018, diversos estados passaram a utilizar a NFC-e como tecnologia para a retirada de notas fiscais para clientes. Dessa forma, com uma impressora não fiscal, é possível o empreendedor otimizar as atividades rotineiras do trabalho e transmitir informações importantes diretamente ao fisco.

É importante salientar que a NFC-e é obrigatória e as empresas que não seguirem as determinações podem encarar punições, multas e a falta de credibilidade no mercado. Continue a leitura e saiba mais a respeito da impressora de cupom não fiscal!

Quando investir em uma impressora de cupom não fiscal?

A Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e) está sendo inserida em todo o país conforme o calendário da Secretária da Fazenda de cada estado. Desse modo, todas as instituições que faturam até R$ 120.000,00 podem registrar suas movimentações comerciais em uma impressora não fiscal. A cima dessa quantia, todas devem ter um equipamento desse modelo.

Os estabelecimentos que se encaixam nessas situações estão optando por impressoras não fiscais não apenas para a retirada de NFC-e, mas também para impressão de senhas, recibos e ordens de serviços.

A NFC-e tornou a abertura e o desenvolvimento do negócio mais simples e eficiente, por meio de um equipamento inovador que pode ser aproveitado para outros propósitos dentro das operações.

O calendário de inserção da NFC-e muda de acordo com cada região, assim como algumas normas. Por exemplo, no Estado de São Paulo, a Secretária da Fazenda Estadual tornou obrigatória a utilização de outro equipamento, o SAT, que transmite e autêntica as informações dos processos de vendas.

Assim, é preciso que o investidor consulte a Secretária da Fazenda de seu Estado para conhecer as legislações específicas.

Como escolher uma impressora não fiscal?

No momento de selecionar uma impressora não fiscal para seu negócio, alguns aspectos devem ser analisados, esses elementos serão primordiais para garantir, durante a emissão do demonstrativo para o cliente, o bom desempenho do processo. Então, confira as principais características de uma impressora não fiscal:

Velocidade

O tempo gasto para efetuar uma impressão precisa ser avaliado na hora de selecionar uma impressora não fiscal.

Devido a essa ferramenta ser responsável por fornecer a NFC-e para os consumidores, é essencial que o processo seja rápido e eficaz e, assim, evite contratempos para o cliente que está aguardando a nota e para as outras pessoas que estão esperando na fila do ponto de venda.

Tamanho

Outro ponto importante que precisa ser avaliado é o tamanho da impressora. Como essa ferramenta ficará no ponto de venda é necessário que seja analisado o tamanho do local para sua instalação.

Visto que a frente do caixa é o espaço de enorme importância para as vendas no varejo, o administrador precisa considerar que o equipamento não pode ocupar um lugar usado para propaganda de algum produto, promoção ou que afete a experiência de compra do cliente.

Capacidade de funcionamento

A capacidade de funcionamento de uma impressora não fiscal é a particularidade dessa máquina, já que não resolve comprar um aparelho que não atenda a elevada quantidade de impressão de NFC-e do seu estabelecimento.

É fundamental frisar que cada modelo apresenta uma capacidade distinta de funcionamento, algumas não são elaboradas para impressão contínua de vários documentos, como modelos fabricados para impressão direta por certo período de tempo e com dispositivo de trava.

É preciso avaliar se a impressora de cupom não fiscal selecionada tem a capacidade de atender sua empresa durante todo o tempo em que estiver em funcionamento.

Meio de comunicação

A forma com que a impressora não fiscal interage com o computador é outro aspecto que precisa ser avaliado.

Há alguns modelos de saídas de conexão que podem ser encontrados no computador, por exemplo, serial, ethernet, e USB. Assim sendo, no momento de optar pelo melhor aparelho para sua organização é ideal se certificar que este possui uma conexão adaptável com a que é usada.

No ramo varejista, uma boa opção é contar com uma impressora não fiscal que apresenta saída ethernet, assim será possível ligar a máquina à rede da loja e facilitar a integração entre todos os computadores do estabelecimento.  

Operação

A maneira como serão efetuadas as operações que circundam uma impressora não fiscal é imprescindível. Vários processos como transporte do equipamento e recarga de bobina de tinta devem ser monitorados, de forma que o modelo favoreça a atividade do operador.

Qual a melhor impressora de cupom não fiscal?

As impressoras de cupom não fiscal são conhecidas por impressoras de NFC-e e são multifuncionais, feitas por diversas marcas e com vários modelos diferentes. Grande parte dos modelos está disponível com interface serial, paralela ou USB, alguns modelos apresentam até mais de uma saída.

Os preços das impressoras mudam muito e, para fazer um investimento certo, é fundamental compreender a realidade da sua empresa. Ou seja, é preciso saber qual o local que a impressora vai operar, para que será utilizada, qual a velocidade e quantos cupons ela precisa emitir diariamente, pois é preciso fazer uma excelente escolha.

Nesse sentido, existem diversas impressoras no mercado que podem ajudar no desenvolvimento dos processos de sua empresa, são elas:

  • impressora de baixa performance;

  • impressora de alta performance;

  • impressora com autenticação;

  • impressoras com botão de senha.

Por fim, devido à mudança na legislação que aborda sobre a documentação das notas fiscais que precisam ser fornecidas para o cliente, a NFC-e será obrigatória e substituirá o cupom fiscal, que é emitido pelo ECF.

Sendo assim, para o empreendedor compreender como funciona e saber mais sobre as normas de uso da NFC-e, é primordial garantir o cumprimento de todas as leis que devem ser observadas na operação do ponto de venda.

Portanto, contar com uma impressora de cupom não fiscal que atenda a demanda de impressão dos documentos da organização, é certificar o bom funcionamento dos seus processos.

Gostou de saber sobre a impressora de cupom não fiscal e quando investir em uma? Então, aprenda mais sobre equipamentos de automação que facilitam o dia a dia!