A gestão empresarial em tempos de crise não é uma tarefa fácil, tampouco algo sobre o qual gostaríamos de escrever para você. Afinal, o desejo de todos nós é a volta à vida normal, ou ao menos algo próximo disso, e o preferível seria não precisar passar por esse momento.

No entanto, não podemos fazer nada a respeito, além de procurar administrar a situação. Ao mesmo tempo, a maioria de nós não se preparou para algo parecido, pois não imaginávamos algo minimamente próximo em nossas vidas.

Assim, os métodos que usamos no dia a dia para planejar, programar, monitorar e competir no mercado não funcionam tão bem, pois não foram feitos para isso. Alguns precisam ser adaptados e outros substituídos. Este post é justamente sobre isso: que métodos são indicados e como usá-los no cenário da COVID-19? Continue a leitura e descubra!

O impacto da pandemia na gestão empresarial

Entre as grandes dificuldades que enfrentamos em boa parte de 2020 está a impossibilidade de prever com segurança o que vai ocorrer. É muito difícil administrar um negócio sem saber o que vem pela frente. 

É como se estivéssemos em uma pista de corrida que muda a cada curva. Buracos aparecem, outros carros surgem do nada, os fiscais da pista bloqueiam passagens e saídas e, quando a gente menos espera, começa a chover e ventar forte, ao ponto de não ser possível ver praticamente nada. 

É apenas uma analogia, mas incrivelmente parecida com a corrida da rotina de quem empreende. Os fiscais de pista representam o governo, os buracos são boletos e a falta de clientes, enquanto a chuva é a onda de contágio e alguns desastres naturais que ocorreram, apesar de já termos problemas demais.

Nesse contexto, vivemos grandes incertezas, poucas possibilidades de recorrer a fontes de financiamento, baixa nas vendas e, em alguns casos nos quais a atividade não parou, como supermercados, uma realidade totalmente diferente para administrar, desde sistemas de proteção sanitária até a preocupação em evitar o contágio dos colaboradores. A responsabilidade é grande e as decisões são difíceis.

A gestão empresarial em tempos de crise

Pois bem, feita essa contextualização inicial, a questão central é que a grande mudança na gestão em períodos de crise é uma consequência do fato de que os problemas das pessoas não são os mesmos. Por exemplo, pense em um consumidor que vai ao mercado em uma situação normal. Ele tem uma fonte de renda regular, com certa estabilidade nos valores e gosta de receber os amigos em casa. 

Amante da culinária, ele reserva tempo para passar no supermercado e escolher os melhores ingredientes, além de estar sempre atento às promoções e novidades. Ele adora vinhos, mas não conhece muito sobre a bebida, o que faz com que passe bastante tempo lendo rótulos na loja.

Com a pandemia, tudo isso mudou. Agora ele quer poder ter uma experiência parecida pela internet, o que não é possível no supermercado que costumava comprar, pois o estabelecimento improvisou com o WhatsApp, que é o único meio para solicitar entregas.

Por isso, ele trocou a forma de consumo. Agora, prefere a plataforma de compras de um concorrente que, além de informações e imagens detalhadas dos produtos, permite que ele tire dúvidas com atendentes atenciosos e prestativos.

Obviamente, esse é apenas um exemplo. Existem diferentes situações, consumidores e necessidades, mas o que precisamos perceber é que as demandas mudam. Esse mesmo comprador pode estar evitando supérfluos, para fazer uma reserva de caixa, ou preferindo marcas mais baratas.

Por isso tudo, é fundamental lembrar que a gestão empresarial é uma atividade empreendedora que busca entregar valor. O lucro e a competitividade das empresas são resultado da oferta de soluções melhores para os problemas do cliente, que são mais valorizadas por ele do que o total que precisa desembolsar para obter o ganho oferecido por meio das ações promocionais da empresa. 

Se os problemas mudaram, a solução que entregamos anteriormente, provavelmente, não resolve mais a dor do consumidor. Então, o único caminho para a gestão é buscar metodologias que ajudem a identificar esses problemas e a encontrar soluções melhores.

As metodologias que ajudam na superação

Agora podemos, finalmente, relacionar e descrever algumas das metodologias mais importantes, que podem ser adaptadas a esse momento ou foram desenvolvidas para situações de mudança ou dificuldades. Antes disso, vale lembrar o conceito de metodologia: a forma elaborada para executar um processo com o objetivo de alcançar um fim determinado, como levantar uma informação ou definir uma estratégia. 

Pesquisas

Várias metodologias de pesquisa podem ser usadas para entender a realidade do cliente na crise e pensar em modelos mais adequados, com o objetivo de ajudá-lo a superar o momento. Como vimos, quanto mais eficiente for o seu negócio em ofertar essa solução, mais clientes desejarão comprar da empresa.

Você pode usar métodos como o NPS (Net Promoter Score), com aquela pergunta clássica que pede ao consumidor que informe o quanto ele está disposto a indicar a empresa, o produto ou o serviço para um amigo. Esse tipo de método serve para mensurar o nível de satisfação, o que é fundamental para fazer uma análise prévia da situação.

Entretanto, você também pode fazer pesquisas por meio de entrevistas, conversas informais e levantamentos com especialistas sobre as demandas e os problemas enfrentados na crise. Mesmo que não seja viável contratar uma pesquisa detalhada, você pode obter muita informação e insights conversando com os clientes sobre como estão passando pelo momento, os problemas que têm e as dificuldades que gostariam que fossem resolvidas, especialmente durante o processo de compra.

Gestão de risco

Esse é um método elaborado justamente para buscar a garantia de que a empresa trabalha com um nível aceitável de risco. Consiste em adotar boas práticas e políticas que diminuam o impacto e a influência dos riscos na empresa. O método costuma ser dividido nas seguintes etapas:

  • planejamento;
  • identificação do risco;
  • análise;
  • plano de solução;
  • monitoramento.

Gestão da inovação

Os métodos de gestão da inovação compreendem as atividades desenvolvidas para criar formas melhores de entregar soluções para os clientes. Mais do que inventar produtos e serviços novos, a gestão da inovação busca a elaboração, o desenvolvimento, a seleção, a testagem no mercado, o aprimoramento e a expansão de novos projetos e estratégias. 

Canvas

Entre os métodos usados em gestão da inovação, o Canvas é um dos mais conhecidos e valorizados. Em sua aplicação, uma única folha, ou quadro (tradução de canvas), é usada para planejar o modelo de negócios da empresa com o objetivo de desenvolver, comunicar e entregar um valor superior para o consumidor.

Por fim, seja qual for a metodologia que considere importante se aprofundar e utilizar no seu negócio, lembre-se sempre de que a gestão empresarial em tempos de crise também é uma oportunidade de aprendizado e superação. É nos momentos difíceis que percebemos e manifestamos nossa força. Não deixe de contar com parceiros nessa caminhada.

Falando nisso, assine nossa newsletter para receber a nossa contribuição na forma de novas dicas.