Só existe uma maneira de um empreendimento de pequeno porte se manter saudável e competitivo: ter uma boa gestão financeira empresarial.

É o controle das finanças, aplicações e investimentos que dará a solidez necessária para que o negócio possa crescer de maneira estável, e em um prazo consideravelmente curto. E esse controle financeiro parte de algumas boas práticas que visam evitar o desperdício de recursos e maximizar o capital de giro.

Então, quer conhecê-las? Continue a leitura e saiba como fazer os recursos de sua empresa trazerem muito mais resultados!

1. Registre as movimentações do fluxo de caixa

Uma das partes mais importantes da gestão financeira de uma empresa é o controle sobre o fluxo de caixa. Isso significa registrar todo o dinheiro que entra e sai, origens e destinos, datas e valores. Então, uma vez por semana, ao menos, dedique um tempo para a análise de fluxo.

Confira se os pagamentos foram efetuados nas datas certas, se os recebimentos caíram como o previsto e o mais importante: se não houve furo de caixa. Esse tipo de análise ajuda o empreendedor a identificar com antecedência se os negócios estão dando o lucro esperado e, se não, o que pode ser feito antes que haja prejuízos maiores.

Quanto maior for esse controle, menores são as chances de acontecerem imprevistos.

2. Separe as finanças pessoais das profissionais

Esse é um erro muito cometido por empreendedores sem experiência. Afinal, utilizar o dinheiro do caixa para pagar aquela conta pessoal pode confundir o controle de gastos no fim do mês.

A primeira coisa a se fazer para evitá-lo, então, é providenciar um cartão de crédito corporativo e debitar dele todas as despesas do negócio.

Outra dica é criar uma conta poupança para o negócio. Assim, sempre que houver grandes quantias em caixa, elas podem ser depositadas nessa conta a fim de criar um fundo de emergência.

Mas tirar dinheiro dessa conta para cobrir um gasto pessoal, nem pensar!

3. Jamais pague contas com atraso

Atrasos acarretam em juros, e isso significa desperdício de recursos. Sem contar que o pagamento fora do prazo acaba tomando dinheiro dedicado para outras despesas e, com o tempo, todas as contas estarão atrasadas. Evite essa bola de neve.

Com muitas contas, além de juros, haverá várias multas. No fim de um semestre, sua empresa terá desperdiçado um montante considerável por causa da falta de organização.

Então, se você têm muitas tarefas, considere delegar para algum colaborador a responsabilidade desses pagamentos, ou crie lembretes para todas as datas de vencimentos e dedique alguns minutos do seu dia para checar essas anotações.

4. Considere utilizar um software de gestão financeira empresarial

As agendas e planilhas de Excel podem ser muito úteis no início, mas, depois, se tornarão inviáveis. Com a expansão do negócio, o aumento de clientes, vendas e tarefas, você provavelmente não dará conta de gerenciar tudo manualmente.

Então, quando esse momento chegar — ou até antes, se você for precavido — considere utilizar uma ferramenta de automação empresarial.

Uma ferramenta de gestão pode auxiliar na organização das contas a pagar/receber, fluxo de caixa, conciliação bancária para comparação de saldo do caixa com as entradas e saídas, além de emitir lembretes em seu e-mail e smartphone. E o melhor é que essas e outras funções funcionam de forma totalmente integrada, dando ainda mais agilidade nos processos empresariais!

Enfim, como vimos, a organização é a chave para conseguir obter sucesso na gestão financeira de sua empresa.

Se pudéssemos resumir tudo o que foi dito aqui em uma única frase, seria: ORGANIZE-SE. E manter-se organizado não é tão difícil quando você pode contar com uma boa ferramenta de gestão para lhe dar o suporte necessário.

Aliás, que tal conhecer os benefícios da automação comercial para a gestão financeira empresarial? Com certeza, você conhecerá soluções que cairão como uma luva para o seu empreendimento!